Plano de Ação para a Economia Circular

O “Plano de Ação para a Economia Circular em Portugal: 2017-2020” pretende preparar o país para um novo modelo económico baseado nos conceitos da Economia Circular.

Estabelece um processo iterativo e interativo, que exige ciclos de aprendizagem entre os envolvidos com ações top-bottom e e bottom-top.

Foi elaborado por um grupo interministrial composto por 4 áreas da governação:

  • ciência, tecnologia e ensino superior;
  • economia;
  • ambiente;
  • agricultura, florestas e desenvolvimento rural.

É composto por três níveis de ações:

  • Macro: ações de âmbito estrutural, que produzem efeitos transversais e sistémicos que potenciam a apropriação de princípios da economia circular pela sociedade;
  • Meso (ou setorial): ações ou iniciativas definidas e assumidas pelo conjunto de intervenientes na cadeia de valor de setores relevantes para o aumento da produtividade e utilização eficiente de recursos do país, capturando benefícios económicos, sociais e ambientais;
  • Micro (regional/local): ações ou iniciativas definidas e assumidas pelo conjunto de agentes governativos, económicos e sociais, regionais e/ou locais, que incorporam o perfil económico local e o valorizam na abordagem aos desafios sociais.